Início Cidades Sorriso Sorriso abrirá em horário noturno para aplicação de segunda doses

Sorriso abrirá em horário noturno para aplicação de segunda doses

0

Ei, verificou aí o seu cartão de vacinas e percebeu que a segunda dose do imunizante contra a covid-19  está agendada para amanhã (18) ou para sexta-feira (19); mas, não conseguirá comparecer, pois a vacina é aplicada em horário comercial? Tudo bem. É justamente para atender a sua necessidade e a de demais sorrisenses que nesta quinta e sexta-feira teremos horário estendido. Isso mesmo. Amanhã e sexta os postos do Centro de Eventos Ari José Riedi do Rota do Sol e o PSF Nova Integração, a Upinha da Zona Leste irão abrir à tarde às 13h30 e seguirão com atendimento até às 20 horas. Pela manhã os dois pontos atenderão das 7h30 às 10h30.

Conforme a coordenadora de Vigilância em Saúde, Tayná Vacaro, a ação visa imunizar cerca de 2,3 mil pessoas que estão com a segunda dose prevista para os dois dias. “Além disso, temos cerca de 6,8 mil pessoas que estão com a segunda dose atrasada. Então, nesse momento, realizamos um apelo: se você estiver com a segunda dose atrasada, aproveite esse momento e complete seu esquema vacinal”, pontua.

Hoje, o Município está imunizando toda a população com 12 anos ou mais. Maiores de 18 anos que ainda não tenham sido imunizados, é só procurar um PSF. Já adolescentes com 12 anos ou mais e também a população que deve receber a segunda dose ou a dose de reforço, deve procurar ou o Centro de Eventos ou o PSF Nova Integração.

E lembre-se:

– Adolescentes de 12 a 17 anos devem comparecer acompanhados de um responsável para a imunização;

– A dose de reforço ou terceira dose é aplicada em idosos acima de 60 anos; imunossuprimidos, isto é, pessoas em tratamento para enfermidades como câncer, transplantados e portadores de deficiências permanentes; e, profissionais da saúde;

– Imunossuprimidos devem observar um intervalo de 28 dias para aplicação da terceira dose;

– Para idosos e profissionais da saúde o intervalo é de 180 dias, ou seja, seis meses;

– É preciso levar um documento com foto, CPF e o cartão de vacina; quem não tiver o cartão, o documento é confeccionado na hora;

– Profissionais da saúde devem apresentar o comprovante profissional.

Texto: Claudia LazarottoFotos: Arquivo/Decom