Início Geral Secretaria de Saúde faz balanço da campanha Janeiro Roxo

Secretaria de Saúde faz balanço da campanha Janeiro Roxo

0

A Secretaria Municipal de Saúde e Saneamento, divulgou nesta terça-feira (04), o balanço das atividades realizadas durante a Campanha Janeiro Roxo, mês de conscientização contra a hanseníase. Durante o mês foram realizadas 341 consultas com as dermatologistas e detectados 07 novos casos da doença. Neste período 44 profissionais de saúde fizeram a capacitação com a médica especialista em hansenologia, Juliana Reis.

“Podemos dizer que o balanço foi positivo, pois tivemos muitas consultas com as dermatologistas, mas apenas sete casos confirmados. A campanha é no mês de janeiro, mas os usuários que perceber qualquer mancha estranha no corpo, devem procurar as unidades de saúde em qualquer época do ano e passar com o médico para ser encaminhado para a especialista e fazer o tratamento, que é gratuito”, contou o secretário de Saúde e Saneamento, Luis Fábio Marchioro.

Ainda segundo o secretário, no mês de maio terá uma nova fase de capacitação dos profissionais de saúde sobre detecção e tratamento da hanseníase.

“Já está no cronograma de planejamento das ações da Atenção Básica, uma nova capacitação para os profissionais da saúde. Nossa equipe está preparada, mas os usuários precisam procurar as unidades para fazer o diagnóstico precoce e evitar sequelas”, ressaltou ele.

Em 2019 foi contabilizado 200 casos de hanseníase, só neste primeiro mês sete casos foram confirmados.

Sobre a Hanseníase

Hanseníase é uma doença infecciosa causada pelo Mycobacterium leprae que acomete a pele e os nervos periféricos. Ela é uma doença de baixa infectividade, ou seja, o seu poder de contágio é baixo.

Os sinais e sintomas mais frequentes da hanseníase são: Manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas, em qualquer parte do corpo, com perda ou alteração de sensibilidade térmica (ao calor e frio), tátil (ao tato) e à dor, que podem estar principalmente nas extremidades das mãos e dos pés, na face, nas orelhas, no tronco, nas nádegas e nas pernas.

Áreas com diminuição dos pelos e do suor, dor e sensação de choque. Formigamento, fisgadas e agulhadas ao longo dos nervos dos braços e das pernas. Pode se apresentar inchaço de mãos e pés. Também pode se observar a diminuição sensibilidade e ou da força muscular da face, mãos e pés, devido à inflamação de nervos, que nesses casos podem estar engrossados e doloridos, úlceras de pernas e pés; Caroços (nódulos) no corpo, em alguns casos avermelhados e dolorosos. Algumas pessoas podem ter febre, edemas e dor nas juntas, entupimento, sangramento, ferida e ressecamento do nariz e ressecamento nos olhos.

DA ASSESSORIA/Adriano Carneiro/Fotos: Internet