Camara
Posto Smile 550×100
Início Cidades Sorriso Prefeitura de Sorriso já distribuiu mais de 44 mil kits alimentação para...

Prefeitura de Sorriso já distribuiu mais de 44 mil kits alimentação para alunos da rede municipal

0

Garantir a nutrição básica e as condições de acesso ao alimento com qualidade por parte das crianças em idade escolar tem sido uma das preocupações da Prefeitura de Sorriso durante a pandemia. Foi pensando nisso que desde abril de 2020 a Prefeitura se organizou e por meio da Secretaria de Educação e Cultura já distribuiu 44.091 cestas básicas que atenderam cerca de três mil crianças cadastradas no Bolsa Família. Desse total, 23.801 cestas são formadas por alimentos não perecíveis e 20.290 são de produtos fresquinhos, vindos direto da horta do produtor para as famílias. O investimento para isso chegou à R$ 1.620.295,04 (R$ 1.300.349,90 para alimentos não perecíveis e R$ 319.945,14 no caso dos perecíveis).

O reforço possibilitou que além de produtos indispensáveis como o arroz e feijão, essas crianças também tivesse acesso a um reforço especial: os alimentos frescos, produzidos pela rede da agricultura familiar sorrisense, o que garantiu que frutas e legumes estejam no dia-a-dia das crianças. Há um ano, essa distribuição tem sido mensal e com todos os cuidados protetivos para evitar filas e aglomerações. Para isso, desde abril de 2020, as unidades escolares estão entrando em contato direto com os contemplados para agendar data e horário de entrega.

Todo o trabalho, pontua a secretária de Educação e Cultura, Lúcia Drechsler, conta com o apoio direto da Secretaria Municipal de Assistência Social, pois a recomendação é que o kit alimentação seja entregue às famílias em situação de vulnerabilidade social cujos filhos estão com o cadastro atualizado na Secretaria Municipal de Assistência Social. Lúcia salienta que para retirar o kit é necessário que o responsável tenha em mãos o cartão do bolsa família e um documento pessoal da criança contemplada.

Mas a parceria entre a Educação e Cultura e a Assistência Social vai além. Desde o dia 02 de junho do ano passado, 180 famílias sorrisenses contam com uma mesa mais saudável. Isso porque elas integram o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) que também oferta alimentos fresquinhos e produzidos por mãos da agricultura familiar sorrisense, propiciando uma “Mesa Saudável”. Conforme a gestora da pasta de Assistência Social, Jucélia Ferro, até o momento, já foram distribuídas 40 toneladas de alimentos pelo Mesa Saudável que conta ainda com a parceira da equipe da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, responsável pelo cadastro r busca ativa dos produtores rurais.

“Muitas das famílias assistidas pelo Mesa Saudável tem filhos em idade escolar e enfrentam situação de vulnerabilidade, então automaticamente, uma ação reforça a outra e oferta mais e melhores condições de alimentação a essas famílias”, ressalta Jucélia. Até o momento, a Assistência já investiu R$ 117.282,67 na aquisição e distribuição de alimentos fresquinhos.

 

Mais parcerias e mais qualidade de vida

A preocupação com os cuidados dessas crianças e famílias não se atém só a alimentação. O carinho e assistência permanente vão além. Prova disso é outra ação em conjunto: a fábrica de máscaras desenvolvida pela Assistência Social que contou com o apoio da Educação e Cultura. Para isso, foi usado o espaço da Escola Municipal Ivete Lourdes Arenhardt durante o período das aulas remotas e várias colaboradoras da Prefeitura Municipal atenderam a um chamado especial: costurar máscaras para ser doadas à famílias de baixa renda. O tecido foi fruto de doações por parte da sociedade organizada e assim, mais de 60 mil máscaras foram costuradas e distribuídas.

 

Retorno às atividades escolares

O cuidado também está presente em todos os detalhes no retorno às atividades escolares e inicia ainda no portão da escola: todo aluno precisa passar pelo tapete de pedilúvio, tem aferida sua temperatura e tem a mochila e mãos higienizadas com álcool 70º para só então entrar no espaço escolar. Para garantir essas ações foram adquiridos 150 termômetros digitais com o investimento de R$ 18.750,00; também foram licitadas e adquiridas 10 mil máscaras para distribuição aos professores, investindo R$ 33.900,00.

Agora se o cuidado já tem início no portão, de forma nenhuma pôde-se relaxar em sala, lembra a responsável pela Semec, Lúcia Drechsler. “Estamos trabalhando com duas modalidades de ensino hoje: as aulas remotas para as crianças cujas famílias realizaram essa opção e as aulas presenciais”, diz Lúcia. No caso das aulas presenciais, o sistema é de revezamento garantindo que em cada sala estejam no máximo dez crianças. “É um sistema de bolhas, assim, se identificarmos um caso positivo, automaticamente fechamos a bolha em questão”, explica.

Lúcia acrescenta ainda o acompanhamento constante em relação a casos suspeitos e ativos. A secretária ressalta que desde o retorno escolar, esse acompanhamento é diário. “Iniciamos no dia 8 de fevereiro de forma escalonada; após isso paramos por dez dias por recomendação estadual e retornamos no dia 4 de abril; desde então tivemos 13 casos positivos em um universo de 15,3 mil alunos e 1,8 servidores entre professores, secretários, diretores, estagiários e cooperados. Imediatamente quem positivou ou está com suspeita, é afastado”, salienta. Do total de 13 pessoas, 8 são professores, dois cooperados e três alunos. Alguns já terminaram o período de quarentena e retornaram às atividades normais. Hoje, nove pessoas aguardam o resultado do exame.

“Nossa vigilância é constante. Dentro do espaço escolar cuidamos dos estudantes e profissionais como um todo. Nossa meta é ensinar com amor, ludicidade e atenção ao enfrentamento de todas as dificuldades dos dias atuais com a expectativa de dias melhores em um futuro próximo para todos”, finaliza Lúcia.

Claudia Lazarotto
Fotos: Decom