Início Cidades Mato Grosso MP pede fechamento de praças públicas e proibição na venda de bebida...

MP pede fechamento de praças públicas e proibição na venda de bebida alcoólica em dois municípios de MT

0

O Ministério Público Estadual (MPE) pediu o fechamento de praças públicas e aplicação da lei seca por 30 dias em Colíder e em Nova Canaã do Norte, a 648 km e 696 km de Cuiabá, respectivamente.

Na ação, proposta pelo promotor Marcelo Rodrigues Silva na terça-feira (23), o MP recomenda que as prefeituras proíbam a venda de bebidas alcoólicas em todos os estabelecimentos comerciais, das 18h às 6h.

Também é recomendado o isolamento das praças públicas das cidades, sendo proibido, inclusive, realizar qualquer tipo de atividade física nesses espaços.

Conforme a ação, os municípios devem aplicar multas às pessoas físicas e jurídicas que descumprirem as determinações do decreto.

O MP disse que considerou o esgotamento dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em todo o estado e o aumento de casos e mortes em decorrência da Covid-19.

Colíder registra 3.750 casos da doença e 67 mortes. Já Nova Canaã do Norte tem 798 casos e 13 óbitos.

Casos no estado

Mato Grosso registrou 62 mortes mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, segundo dados divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) nesta quarta-feira (24).

Com isso, o estado chega às 7.095 mortes e 294.974 casos confirmados da doença. O mês de março, antes de terminar, já é o mais fatal desde o início da pandemia em Mato Grosso, superando o número de mortes em julho de 2020, quando, até então, havia sido registrado o pico da pandemia.

Falta leitos em MT

A fila de espera por leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Mato Grosso mais que dobrou em uma semana. Na última terça-feira (22), 187 pacientes esperavam por um leito de UTI no estado, de acordo com a SES.

Desde o dia 8 de março, não tem leitos de UTI disponíveis no estado. Após a lotação máxima, o número de pacientes aguardando a liberação de leito só aumenta.

O colapso de saúde se estende aos hospitais particulares. Em Cuiabá, alguns hospitais fecharam as portas do pronto-atendimento, devido à superlotação de pacientes com Covid-19.

Para frear o avanço da nova onda de Covid-19, o governo estadual prorrogou o decreto publicado na terça-feira (16) que toma medidas como toque de recolher e fechamento do comércio depois das 19h. As medidas continuam a valer até o dia 4 de abril.

Fonte: G1MT