Início Cidades Sorriso Equipe indígena xavante disputa etapa estadual dos Escolares Mato-grossenses em Sorriso

Equipe indígena xavante disputa etapa estadual dos Escolares Mato-grossenses em Sorriso

0

Revelando a diversidade mato-grossense no esporte, compondo a delegação do município de Campinápolis, uma equipe formada por estudantes indígenas xavantes estão disputando o título do futsal feminino da categoria 12 a 14 anos na etapa estadual dos Jogos Escolares Mato-grossenses em Sorriso.

A competição está acontecendo desde o último sábado (16) e segue até sexta-feira (22), reunindo cerca de 1.300 atletas em disputas nas modalidades coletivas de basquetebol, futsal, handebol e voleibol.

As índias xavantes estudam na Escola Municipal Santo Antônio, na terra indígena Parabubure. A equipe disputou a etapa regional Leste, em Canarana, consagrando-se vice-campeãs (perdendo por saldo de gols) e, então foram convidadas pelo coordenador geral do evento esportivo em Canarana, Adriano Augusto de Oliveira, para participar da etapa em Sorriso.

De acordo com a chefe de delegação e responsável pelas atletas durante a viagem, professora Alda Tertuliano Alves Rosa, é a primeira vez que a equipe disputa jogos estaduais.

“A participação delas mostra o quanto os povos indígenas são habilidosos no esporte e também vem trabalhar a diversidade no Estado e possibilitar que mostrem seu melhor além da aldeia em que vivem”, diz Alda.  “Nosso agradecimento ao coordenador Adriano, ao superintendente de Desporto Escolar da Secel, Marcelo Cruz, a nossa assessora pedagógica indígena, Marilene Correia Borges, ao nosso secretário de Educação, Marlon José Correia Borges e ao prefeito, José Bueno Vilela, pois sem eles essa experiência não seria possível”, completa.

Na etapa em Sorriso, a equipe ganhou o primeiro jogo contra Cuiabá (6×1) e ontem (19) perdeu para a equipe de Várzea Grande (3×0). Para garantir vaga para a semifinal, a equipe foi para sorteio porque na outra chave a equipe de Querência tinha o mesmo total de vitórias e mesmo saldo de gols. Amanhã elas jogam contra Alto Garças, às 8h, no Ginásio Fermino Maleski, disputando a primeira vaga da final. “Ontem elas perderam o jogo porque estranharam muito o clima, mas esperamos que amanhã possam dar o melhor em quadra”, frisa a chefe da delegação.

A equipe está sendo treinadas pelo técnico Peter Mattos Drey. De acordo com ele, as atletas não tinham experiência, nem vivência fora da aldeia e mostraram que têm possibilidades de jogar bem e representar todas as equipes indígenas do Estado.

“Em Canarana elas corresponderam positivamente a tudo que lhes foi pedido, dentro e fora de campo. Só não conquistaram o título por causa do saldo de gols. Elas têm uma disciplina exemplar, são guerreiras e maravilhosas como pessoas. Está sendo muito gratificante estar vivenciando com elas essa experiência tão nova e única na vida de cada uma. Afinal, muitas delas nunca sequer tinham saído de dentro da aldeia. Para estarem aqui, muitas barreiras precisaram ser quebradas”, destaca o treinador.

“Para nós, é motivo de orgulho contar com a participação de uma equipe indígena em nosso evento. Estamos felizes por valorizar a diversidade e inclusão social de todas as classes no meio esportivo”, afirma o secretário de Esporte e Lazer de Sorriso, Júnior Brandão.

DA ASSESSORIA