Camara
Posto Smile 550×100
Início Cidades Sorriso Sorriso: Semas entrega cartões do programa Ser Família Emergencial

Sorriso: Semas entrega cartões do programa Ser Família Emergencial

0

A Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) realizou na tarde de ontem (05), com a presença da secretária de Estado de Assistência Social e Cidadania, Rosamaria Carvalho, a entrega dos cartões do programa Ser Família Emergencial, da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

O município de Sorriso foi contemplado com 443 cartões do programa, que beneficiará famílias em situação de vulnerabilidade social com a transferência de renda de R$ 150, durante cinco meses. O auxílio é destinado às famílias que recebem até R$ 89 per capita/mês. O valor deverá ser usado exclusivamente para compra de alimentos nos supermercados credenciados pelo Município. As famílias contempladas com o benefício foram selecionadas pelo Governo do Estado, inscritas no Cadastro Único das Políticas Sociais Brasileiras do Ministério da Cidadania (CadÚnico).

A gestora da Semas, Jucélia Ferro, ressaltou a importância da presença da secretária de Estado e a preocupação da primeira-dama, Virgínia Mendes, em desenvolver um programa que beneficiará tantas famílias. “Para nós é uma honra receber a secretária Rosamaria, que veio trazer os cartões desse programa tão importante, que prevê a distribuição de renda para pessoas vulneráveis que estão passando dificuldades por conta da pandemia. A Assistência Social já oferece cesta básica às famílias cadastradas, porém esse cartão dará a possibilidade da pessoa comprar algum item que não integre a cesta, como carne e leite, por exemplo. Esse recurso vai ajudar quem realmente precisa”, destacou Jucélia, lembrando que o cartão será abastecido no dia 08 de cada mês, o que proporcionará às famílias terem um almoço especial neste Dia das Mães.

De acordo com a gestora da Setasc, ao todo serão 100 mil famílias atendidas pelo programa, nos 141 municípios de Mato Grosso. Ela acrescentou que durante os cinco meses da execução do programa social, o governo investirá cerca de R$ 75 milhões, sendo R$ 15 milhões de recursos oriundos de emenda parlamentar, R$ 10 milhões da Assembleia Legislativa e R$ 50 milhões dos cofres púbicos do Estado. “É motivo de muita alegria para nós hoje estarmos aqui representando nossa primeira-dama, Virgínia Mendes, que é a idealizadora desse programa. O Ser Família Emergencial, além de ser um complemento na renda familiar, trará dignidade para essas pessoas, que poderão comprar algo a mais para levar à mesa de suas famílias”, salientou.

O Secretário Municipal de Administração, Estevam Calvo, enalteceu a ação do Estado em criar um programa de auxílio para famílias em situação de vulnerabilidade social, impactadas pela pandemia do novo Coronavírus. “Gratidão por este programa em que o Estado está olhando para os mais necessitados em tempos de crise. A administração, mesmo com a necessidade de restrições em decorrência da pandemia, tem buscado equilíbrio para garantir saúde e renda aos munícipes. Com o comércio trabalhando, a saúde funcionando e a assistência amparando os mais necessitados, conseguiremos restabelecer, tão logo seja possível, a economia do Estado e de nosso município”, pontuou Calvo, destacando o trabalho realizado pela pasta da Assistência Social no planejamento e execução do programa. “Tudo feito com muita agilidade e compromisso, para que o auxílio chegue o mais rápido possível ao cidadão sorrisense”.

A vereadora Jane Delalibera destacou a importância dessa ajuda às famílias que passam necessidade neste momento. “Cada mãe que está aqui hoje, certamente gostaria de estar trabalhando e ganhando o seu pão de cada dia. Porém, sabemos que a pandemia impôs uma situação que deixou muitas pessoas passando por necessidades. Por isso, precisamos nos unir, Governo do Estado e poderes Legislativo e Executivo, para que juntos possam garantir às famílias o mínimo necessário para seu sustento”.

Dona Maria Ferreira de Souza, de 60 anos, é uma das beneficiárias do programa que recebeu o cartão. Ela conta que está cadastrada nos programas sociais em decorrência de problemas de saúde e o benefício irá auxiliar no seu sustento. “Eu não trabalho, moro sozinha e sou cardíaca e diabética. Esse benefício veio em boa hora e ajudará muito na compra de alimentos”, disse.

Outra beneficiária é a dona Maria Geni, de 65 anos. Moradora de Sorriso há 20 anos, ela diz que não pode trabalhar porque tem problema de coluna e ainda não conseguiu o benefício da aposentadoria. Ela recebe auxílio do Município para o seu sustento e do filho de 15 anos. “Esse dinheiro, com certeza, será muito bem vindo”, afirmou.

Texto: Fabiola Ost
Fotos: Cleiton Izidoro