Posto Smile 550×100
Camara
PREFEITURA  DE  SORRISO
Início Cidades Sorriso Sorriso: Projeto piloto visa a recarga dos lençóis freáticos do Rio Lira

Sorriso: Projeto piloto visa a recarga dos lençóis freáticos do Rio Lira

0

Declarado patrimônio histórico e ecológico de Sorriso desde 2013, o Rio Lira vem recebendo mais uma série de ações que visam a recuperação ambiental. O trabalho, que iniciou em setembro, foi pauta de uma reunião nesta manhã (27) com a participação do prefeito Ari Lafin, do secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Márcio Kuhn, do consultor ambiental e mestre em Recursos Hídrico, Décio Siebert; do também consultor ambiental e professor universitário, Jair Kotz, e do futuro responsável pela SAMA no município, Marcelo Lincoln. Os dois consultores – Décio Siebert e Jair Kotz, atualmente atuam no projeto Cultivando Vida Sustentável do Clube Amigos da Terra (CAT) Sorriso/IDH.

Siebert e Kotz aproveitaram o encontro para apresentar ao prefeito o projeto Produção de Água na Bacia Hidrográfica do Rio Lira. Conforme Siebert, esse é um projeto piloto que visa a construção de curvas de nível, bacias de contenção e instalação de drenos. A intenção é promover a recarga dos lençóis subterrâneos e, assim, propiciar o aumento da disponibilidade hídrica, o que, automaticamente propiciará melhorias na qualidade e aumento da vazão do rio. Siebert pontua que o projeto visa ainda a recuperação de nascentes degradadas na bacia do Rio Lira. Segundo o consultor, o projeto se espelha em uma ação já realizada e com resultados positivos na bacia do Rio Queima-Pé, em  Tangará da Serra.

Entre os objetivos também consta a quantificação e mapeamento de todos os usos do solo na bacia do Lira. “Também serão avaliadas as estradas municipais e vicinais da bacia do Rio Lira; assim teremos um relatório completo dos pontos em que são necessárias adequações para evitar situações de erosão”, explica Siebert.

Para o prefeito Ari Lafin, recuperar as nascentes do Lira é fundamental. “O Lira é um rio genuinamente sorrisense, nasce no nosso município e deságua no Teles Pires e temos consciência de que há vários pontos em que é necessário recuperá-lo”, pontua. Segundo Ari, aumentar a absorção pluviométrica do rio levará automaticamente à melhoria da qualidade e quantidade de água. “Se devolvermos a vida plena ao rio, automaticamente ele também nos presenteará com isso, e, se no futuro tivermos que buscar água fluvial para captação, teremos condições de pensar nisso; afinal, estamos em uma cidade que cresce cerca de 7 a 10% ao ano”, salienta.

O projeto de recuperação é de responsabilidade do CAT, conta com recursos da Mosaic Fertilizantes e está sendo executado pelo Instituto Pantanal Amazônia de Conservação (IPAC), com o apoio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SAMA) e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFMT). De acordo com o levantamento realizado pelo IPAC, a bacia hidrográfica do Rio Lira possui a área de 91.297 hectares e 109 nascentes e toda a extensão do Rio será analisada.

Claudia Lazarotto
Fotos: Decom