Início Cidades Sorriso Diagnóstico do Plano Municipal de Saneamento Básico de Sorriso será apresentado na...

Diagnóstico do Plano Municipal de Saneamento Básico de Sorriso será apresentado na próxima semana

0

UFMT, contratada para elaborar o PMSB, deve concluir o documento até o fim do ano

Quer saber como está o saneamento básico em Sorriso? Você tem interesse em participar do processo de construção do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) dentro do horizonte dos próximos 20 anos? Então anote aí: na próxima semana, a Prefeitura promoverá três audiências públicas em que será apresentado o Diagnóstico Técnico-Participativo, um dos ingredientes do PMSB.

Mas o que é isso? Quem fez? Para que serve? Vamos lá: De acordo com a UFMT, instituição contratada pela Prefeitura para elaborar o PMSB, o Diagnóstico, também chamado de “Produto C”, é o conjunto de dados, informações, registros e relatos sobre as condições atuais do saneamento básico abrangendo  quatro eixos (abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo de águas pluviais, limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos).

Basicamente, a UFMT vai apresentar o “raio-x” de “como Sorriso está hoje” quando se fala em saneamento e, a partir da participação popular, e também alicerçado em dados técnicos, continuar a elaborar o  “como será o amanhã”, que deve fechar 2022 devidamente prontinho.

As audiências serão promovidas na quinta e na sexta-feira da próxima semana. No dia 6 de outubro, quinta-feira, às 15h, o Diagnóstico será apresentado para toda a comunidade de Primavera na Escola Municipal do Distrito. Nesta mesma data, às 19h, o Plenário da Câmara de Vereadores será o palco para a explanação do documento. Já na sexta-feira (7 de outubro), o Diagnóstico será partilhado junto aos sorrisenses que moram no Distrito de Boa Esperança, às 10h, no Centro de Convivência dos Idosos.

“A participação dos sorrisenses é indispensável para a finalização deste trabalho tão necessário para o Município, à medida que os dados apresentados, assim como o programa que será elaborado a partir deste material, tiveram, têm e terão impacto direto sobre a vida das pessoas”, destaca o secretário de Saúde e Saneamento, Sílvio Stolfo.

DA ASSESSORIA